ALGUMAS REFLEXÕES ACERCA DO ESTUDO COMO FERRAMENTA DE REINSERÇÃO SOCIAL DO PRESO

Gabriel Ribeiro Nogueira Júnior, Verônica Teixeira Marques, Samyle Regina Matos Oliveira

Resumo


O presente estudo tem como objetivo principal discutir a importância da educação dentro do sistema penitenciário. Através do método de revisão de literatura, foi possível estabelecer diretrizes para melhor compreender os mecanismos necessários para desenvolver a educação nas prisões. É evidente que o estudo por si só não irá possibilitar a reinserção social do preso, entretanto, a educação somada a outros elementos essenciais constitui eficaz instrumento de libertação. Ademais, o presente trabalho traz ainda a experiência do programa Sergipe Alfabetizado, com importantes dados fornecidos pelo Departamento Estadual do Sistema Penitenciário de Sergipe (DESIPE), os quais demonstram que significativa parcela dos detentos é composta de pessoas analfabetas, reais e funcionais, e de baixa escolaridade. Assim, a educação representa uma alternativa viável para aqueles que recuperam a liberdade e querem recomeçar as suas vidas de forma lícita. 


Palavras-chave


Estudo. Reinserção social. Preso.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Rubem. Conversas sobre Educação. Campinas (SP): Verus Editora, 2003.

ALVES, Rubem. O desejo de ensinar e a arte de aprender. Campinas (SP): Fundação Educar Paschoal, 2004.

BRASIL. Lei nº. 7.210, de 11/jul/1984. Institui a Lei de Execução Penal.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

______. Pedagogia do oprimido. 17.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

______. Conscientização: teoria e prática da libertação. São Paulo: Moraes, 1980.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Retratos do Cárcere. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2013.

GERMANO, José Willington. As quarenta horas de Angicos. Educ. Soc., Campinas, v. 18, n. 59, Aug. 1997. Disponível em: . Acesso em: 08 ago.

JULIÃO, Elionaldo Fernandes. Sistema penitenciário brasileiro: a educação e o trabalho na política de execução penal. Petrópolis, RJ: De Petrus et Ali; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2012.

LIBÂNEO, Jose Carlos. A didática e a aprendizagem do pensar e do aprender: a teoria histórico-cultural da atividade e a contribuição de Vasili Davydov. Revista Brasileira de Educação, n.27, Set./dez, 2004. Disponível em: Acesso em: 05 ago. 2012.

MARQUES, Verônica Teixeira; FONSECA Vania; BRITO, Caroline Mendes de; BEZERRA, Rosane. Perfil dos Presídios Sergipanos. In: MARQUES, Verônica Teixeira; SPOSATO, Karyna Batista; FONSECA, Vania. Direitos Humanos e Política Penitenciária. Maceió: EDUFAL, 2012.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Execução Penal: comentários à Lei Nº 7.210, de 11-7-1984. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

OLIVEIRA JUNIOR, Eugenio Pedro Gomes de. Remição: aspectos práticos da Lei nº. 12.433/2011. Disponível em: . Acesso em: 05 jun. 2013.

PAMPLONA, Kelma. O conceito de educação. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2013.

SIRINO, Caio César de Aguiar. Educação e Identidade: por um inacabado projeto de autolibertação. Disponível em:

A7%C3%A3o%20e%20Identidade%20-%20por%20uma%20inacadado%20projeto%20d

e%20autoliberta%C3%A7%C3%A3o.%20Caio%20C%C3%A9sar%20de%20Aguiar%20Sirino.pdf >. Acesso em: 06 ago. 2013.

SAMPAIO, CT., and SAMPAIO, SMR. Educação inclusiva: o professor mediando para a vida[online]. Salvador: EDUFBA, 2009, 162 p. ISBN 978-85-232-0627-7. Disponível

em: . Acesso em: 01 ago. 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1677-1591 (versão impressa) e ISSN 1677-5716 (versão on-line).